Início » Gatos, os bons companheiros
Gatos

Gatos, os bons companheiros

“A probabilidade matemática de um gato

comum fazer exatamente o que quer

é o único valor absoluto científico do mundo”

Lynn M. Osband, elurófila

Os gatos foram deuses no Egito antigo e foram caçadores profissionais nos navios que os levaram para a Europa e América. Hoje, voltaram a ser endeusados nas residências do mundo todo.

Com aquela carinha linda, que nos conquista, os gatos conseguem que o seu humano faça tudo para que eles estejam confortáveis e felizes.

Tem muita gente que diz que os gatos se apegam às casas e não às pessoas, mas quem já teve o privilégio de conviver com esses maravilhosos animais, sabe o quanto eles são companheiros.

Assim como os cães, o comportamento do gato depende da maneira de como você o cria. Ele pode ser totalmente independente se criado na rua. Caçar para sobreviver e fugir de qualquer humano que se aproxime. Mas você pode conquistá-lo.

Demora muito para se ganhar a confiança de um gato. É necessário muita paciência e tempo. A aproximação deve ser feita devagar e, geralmente, com alimentos. Quando conseguir demonstrar que ele pode confiar em você, terá um amigo para sempre.

Se o gato chegar em sua casa bem pequeno (cerca de 8 semanas) e ser mantido domiciliado, ele escolherá uma pessoa para chamar de sua, a seguirá pela casa e será sua companhia contínua.

Quando você tem um gato em casa jamais se sentirá sozinho. Já quando acorda, ele se encontrará na cama com você. Ao ir ao banheiro, o terá no seu pé. Ao se sentar à mesa, ele estará ao seu lado. Sempre querendo saber o que tem em cima da mesa, o que você tem na mão. Sempre cheirando tudo. Gato curioso é pleonasmo.

Se você estiver trabalhando, em cima de uma mesa, lá estará seu gato, geralmente em cima do papel ou do computador ou até mesmo brincando com as canetas e lápis.

Quando você chega em casa cansado, depois de um dia de trabalho, ele estará te esperando para uma massagem reconfortante na barriga. É só deitar-se no sofá, o gato subirá e, alegremente, amassará sua barriga com as patinhas, até você disser que chega. Ou muito além.

Dizem por aí, que os gatos têm poderes curativos. Que eles podem curar enfermidades apenas sendo acariciados. Cura, eu não sei, mas que eles podem absorver a eletricidade estática acumulada em seu corpo, isso podem. No passar do dia, você acumula cargas elétricas em seu corpo devido aos atritos. Quando você acaricia seu gato, ou qualquer outro animal peludo, você transfere para ele parte desta carga. E eles gostam desta eletricidade. Até arrepiam os pelinhos e praticam o alongamento tão peculiar aos bichanos.

Mas não esqueçam que os gatos são independentes e exigem, eu disse, EXIGEM ser respeitados. Tudo o que eles fazem é porque desejam. Se ele fica a seu lado, é porque ele aprecia a sua companhia. E, geralmente, o que o gato gosta é de se esfregar em você. Gostamos de pensar que é carinho puro, mas, na verdade, ele está dizendo: ”Você é meu, humano”. Ele está deixando o seu cheiro em você. E, é claro, que podemos ler esse ato como “amor”.

Temos muitos motivos para se ter um gato (ou mais) e, certamente, o companheirismo é um deles.

Veja o vídeo:

 

 

 

Sobre o autor

MARCIA KUBIAK SATO

MARCIA KUBIAK SATO

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (1981) e graduação em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Com Habilitação Em Física pela Universidade Guarulhos (1985). Especialização em Ensino de Física para Curso Superior (1983) e em Docência No Ensino Superior (2010/2011). Atualmente é professor assistente da Universidade Guarulhos. Tem experiência na área de Física (Geral e Experimental), com ênfase em Conforto Ambiental (Térmico, Acústico e Iluminotécnica).

Comentários

Clique aqui para adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: