Início » Falando com as estrelas
Biologia

Falando com as estrelas

Eu gosto de Ciência. Eu gosto de compreender o Universo que me cerca. Por isso me formei em Física. E também em Matemática, pois é a linguagem da Ciência.

A influência de amigos me aproximou das Ciências Biológicas e dessa forma me especializei em Biofísica.

Gosto da cultura nerd. Me considero um nerd. Moderado, mas nerd. E dessa forma curto muito programas como Falando com as estrelas (Star Talk, no original) que é exibido pelo canal NatGeo, mas podemos encontrar vários episódios no YouTube.

Nesses programas o apresentador e astrofísico Neil deGrasse Tyson (famoso por ter apresentado a série Cosmos – A Spacetime Odissey, 2014), uma nova versão da série Cosmos, apresentada por Carl Sagan, em 1980, apresenta agora uma espécie de programa de entrevistas, tendo como pano de fundo a Ciência e a Cultura Pop.

Assim falar de Ciência e também falar de séries na TV, ficção científica, música, e vários outros assuntos, é fascinante. Seus entrevistados são sempre pessoas importantes da política, da Ciência, com destaque a entrevistados americanos. Tyson sempre fica maravilhado com o que aprende com seus entrevistados.

Tyson é diretor do Departamento de Astronomia do Museu Americano de História Natural, na cidade de New York, e o programa é gravado lá. Ele sempre tem duas pessoas com ele durante o programa, um comediante e um especialista na área científica do tema do programa.

Desejo destacar um episódio em particular, gravado em 2015, que está disponível no YouTube e que recentemente foi reprisado no canal NatGeo do Brasil (nesse último em versão dublada para o português).

O entrevistado foi o ex-presidente americano Jimmy Carter. A intenção do programa foi falar do trabalho da fundação Carter Center[1], fundada pelo ex-presidente, que trabalha em várias frentes, mas o destaque foi para a erradicação do verme da Guiné. Entre 13 de janeiro de 2015 e 29 de maio de 2017 a Carter Center manteve uma exposição, Countdown to Zero, sobre o problema do verme da Guiné, no Museu Americano de História Natural.

Chamou-me a atenção no programa de saber que o presidente Carter fez carreira na Marinha americana, onde estudou Física e Engenharia, tendo participado do programa de fabricação de submarinos nucleares americanos.

Nesse episódio aprendi que um verme ou parasita chamado de verme da Guiné, devido a sua descoberta naquele país, tem a característica de entrar no corpo humano, pela ingestão de água contaminada com esse verme, e após um ano de desenvolvimento dentro do corpo humano, onde pode adquirir até 80 cm de comprimento, ele precisa sair para voltar para a água e se reproduzir.

Para sair do corpo humano o verme produz uma sensação de queimadura, uma dor intensa, com muito sofrimento para o hospedeiro, que ao procurar a água para aliviar a sensação poderá permitir ao verme que complete seu ciclo e se reproduza.

A referência na ficção científica óbvia é Alien que também é citado no episódio.

A fundação Carter Center mantém pessoas nas regiões atingidas com o objetivo de explicar as pessoas quais são os problemas e como tratar. E mais importante, como evitar ser infectado.

A Carter Center não faz isso sem encontrar dificuldades, entre elas, guerra civil, analfabetismo, políticas incorretas, entre outras. Tendo a frente o presidente Jimmy Carter, reconhecidamente um grande diplomata, a fundação tem conseguido resultados interessantes, o que pode ser visto na página https://www.cartercenter.org/health/guinea_worm/index.html

O verme da Guiné só infecta a nossa espécie. Pessoas infectadas sofrem dores fortes. Agonizam. Esse parasita está presente ainda em cerca de 20 países, sendo 17 deles no continente africano.

Atualmente está muito presente no sul do Sudão.

Posso garantir a você leitor que a série Falando com as estrelas é ótima para aprendermos sobre Ciência e a relacionarmos com o funcionamento do mundo. Esse episódio é apenas um exemplo.

Em 2015 existiam documentados 126 casos de pessoas infectadas com o verme da Guiné. Para o ano de 2017 ainda existiam 30 casos. Mas lembro a você leitor que as estimativas de 1986 eram de 3,5 milhões de pessoas atingidas.

Ciência é conhecimento organizado que pode ser dirigido para salvar pessoas, para tirá-las do sofrimento.

[1] https://en.wikipedia.org/wiki/Carter_Center

 

Sobre o autor

Sérgio Sato

Sérgio Sato

Professor universitário há 35 anos de Física e Matemática. Avaliador no INEP/MEC. Motociclista. Entusiasta do conhecimento.

Comentários

Clique aqui para adicionar um comentário

  • Prezado Prof. Sérgio, muito obrigada por compartilhar esse conhecimento para nós, leitores.

    Eu não conhecia a respeito do verme da Guiné e achei muito interessante o seu texto e também os vídeos. Como bióloga, sempre me interesso muito por assuntos relacionados aos mais diversos temas relacionados com seres vivos, até mesmo de seres não muito queridos, como é o caso dos vermes parasitas…

    Mais uma vez, muito obrigada e parabéns pelo seu texto.

    • Amiga Vera Lima, bom momento a você. Eu é que fico feliz que tenha proporcionado a você algum conhecimento e informação. Afinal esse é o objetivo desse portal. Valeu mesmo.

%d blogueiros gostam disto: