Início » Coisa boa ou coisa ruim
Fisica/Matem.

Coisa boa ou coisa ruim

Quando falo sobre radiação em turmas de Ciências da Saúde pergunto se existe radiação boa ou radiação ruim (ou má). Os alunos ficam confusos por algum tempo, mas é comum dizer que a radiação é ruim.

Os primeiros argumentos deles para isso são as armas nucleares usadas no final da segunda guerra mundial sobre o Japão, nas cidades de Hiroshima e Nagasaki, em agosto de 1945. Eles também se lembram de que as pessoas sob radioterapia ficam muito debilitadas.

Eu digo a eles se uma lâmina cortante é boa ou má?

Alguns já percebendo onde quero chegar dizem que uma lâmina não é nem boa e nem má. O portador ou usuário da lâmina é que é bom ou mau. Afinal se a lâmina for uma faca de cozinha sendo usada para matar uma pessoa o assassino é mau, mas se a lâmina for a de um bisturi, usado por um cirurgião para salvar a vida de uma pessoa, então nesse caso o usuário é bom.

Radiação pode induzir um processo tumoral, mas também pode tratar o paciente portador de um câncer, destruindo as células tumorais. A isso denominamos de radioterapia.

George Orwell (1903 – 1950) disse que a “história é escrita pelos vencedores”. Os aliados venceram a segunda grande guerra e por isso temos uma versão da história. Se os países do eixo (Itália – Alemanha – Japão) tivessem vencido, a história seria diferente, e americanos, franceses e russos (entre outros) seriam os vilões e Mussolini e Hitler seriam grandes visionários e teriam salvado a humanidade. O bom e o mau talvez sejam apenas faces diferentes da mesma moeda.

Não há radiação boa ou má! Não existe lâmina boa ou má! Os fenômenos naturais são o que são fenômenos naturais e por isso não são bons ou maus. A bondade ou maldade está no fato de quem está analisando. É um conceito altamente relativo e subjetivo.

Não sou favorável as guerras, mas o fato é que algumas pessoas são, e elas podem desejar entrar em guerra comigo. Não vou me suicidar. Uma coisa é dar a outra face e outra bem diferente é dar o coração para uma estocada. Vou me defender e para tal talvez precise de armas. Espero que minha principal arma seja a palavra, a lógica, que devo desejar para os outros o que desejo para mim mesmo. Isso é bondade? Ou maldade?

Se um médico salva um paciente e esse paciente no futuro matar alguém então o médico tem culpa? O médico fez algo que pode ser configurado como mau? Mas não é bom salvar as pessoas?

Um veículo transporta as pessoas para trabalhar e isso é bom. Mas esse mesmo veículo pode atropelar alguém e assim ele será mau?

Se uma pessoa atira na outra qual foi o causador da morte? Que condição deveria existir para que a morte não acontecesse? Claro que se a pessoa não atirasse, mas também, se a arma não existisse, ou então se os pais do atirador não tivessem gerado o próprio atirador, ou recuando bastante, se toda a civilização humana existisse…! Ou será que foi o fato de que o material do projétil pode romper as delicadas membranas celulares?!

A bondade e a maldade estão nas pessoas. Os instrumentos e ferramentas que as pessoas usam não são bons e nem maus. Seu uso poderá ser bom ou mau, mas isso dependerá do ponto de vista dos outros, quem sabe dos vencedores.

Aprendemos a temer o que não conhecemos e por vezes adotar uma avaliação do que não conhecemos como coisa má.

Assim conhecer, ter conhecimento, é o primeiro passo para avaliar melhor o mundo que nos cerca e tomarmos decisões mais acertadas, e talvez assim vendo mais bondade no mundo do que maldade. Talvez possamos ver as coisas boas do mundo se as conhecermos e nesse sentido parece que o desconhecimento, a ignorância, está mais aliada a uma avaliação negativa dos fatos, e assim, essa ignorância tende a avaliar o mundo como feito de coisas más.

Nesse sentido digo a você que radiação é tudo aquilo que é emitido pelos átomos, na forma de matéria e energia, que levam esse átomo a um estado mais estável energeticamente. Isso significa que os átomos que emitem radiação são átomos originalmente instáveis. São denominados de átomos radioativos. De modo geral são átomos que possuem muitas partículas em seus núcleos e assim são, de modo geral, os átomos que possuem mais número atômico. Estão no final da tabela periódica.

Ainda assim a própria luz que usamos para ver o mundo é uma forma de radiação.

As radiações que devem preocupar as pessoas são as chamadas radiações ionizantes, pois elas tem energia suficiente para alterar as ligações químicas entre os átomos e dessa forma alterar a composição de substâncias.

Nosso corpo é formado por milhares de substâncias, e essas podem ser alteradas por radiação ionizante. A luz visível como já dito acima é radiação, mas não ionizante.

Mas mesmo luz visível em grande quantidade pode nos fazer mal. Por isso não olhamos diretamente para o Sol.

O nosso Sol produz radiações ionizantes que são bloqueadas pela atmosfera e pela magnetosfera, que em essência é o campo magnético terrestre.

Mas a radiação ionizante está presente na Terra desde que ela se formou. Antes do aparecimento da vida. A vida existe, ou melhor, coexiste com a radiação natural.

Nossa evolução certamente foi marcada pela radiação. E se estamos vivos temos alguma cumplicidade com a radiação.

Pense nisso…

Sobre o autor

Sérgio Sato

Sérgio Sato

Professor universitário há 35 anos de Física e Matemática. Avaliador no INEP/MEC. Motociclista. Entusiasta do conhecimento.

Adicione um comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: