Início » S.W.HAWKING (1942 – 2018)
Fisica/Matem.

S.W.HAWKING (1942 – 2018)

O que você faria se aos 21 anos fosse diagnosticado com uma doença sem cura e que te mataria em pouco tempo?

No caso de Stephen William Hawking que faleceu em 14 de março de 2018, aos 76 anos, ele passou todo o tempo que teve em estudos profundos sobre o Universo. Obviamente não o matou tão rápido quando se pensou no início.

A doença de Hawking é conhecida como doença de Lou Gerigh ou esclerose lateral amiotrófica (ELA). Essa doença foi retirando de Hawking as mais básicas capacidades para andar, enfim se mover, a tal ponto que sua comunicação com o mundo se dava por meio de computador que acompanhava o movimento de um único olho, para selecionar letras, palavras ou mesmo frases.

Uma voz sintética metálica passou a ser como o ouvimos.

Escreveu mais de dez livros dessa maneira, letra a letra, como único autor ou em parcerias, com outros notáveis como Roger Penrose e Kip Thorne.

Seu principal interesse era encontrar uma conexão entre a Física do microscosmo, a Mecânica Quântica, e a Física do macrocosmo, a Gravitação Universal e assim estabelecer uma única teoria para todo o Universo desde sua origem, o que a Física chama de TGU, Teoria de Grande Unificação.

Ele não atingiu esse objetivo, mas ao tentar fazê-lo estabeleceu o que hoje é conhecida como Radiação Hawking. Efeitos de Mecânica Quântica, nas vizinhanças de um buraco negro, na região denominada de horizonte de eventos, produziria uma radiação que seria emitida para o espaço, obrigando o buraco negro a perder massa e energia.

Isso, de acordo com Hawking, faria o buraco negro desaparecer, ou como dizia, evaporar.

Os cálculos de Hawking demonstram que essa perda é muito suave, de tal forma que um buraco negro que possuísse uma massa igual à massa do nosso Sol (2.1030 kg) precisaria de mais de 1067 anos para evaporar, o que é muito mais que toda a idade do Universo, que é estimada em 1,4.1010 anos.

Assim para que o tempo de evaporação fosse mensurável o buraco negro teria que ter uma massa muito menor que a do Sol. Geralmente buracos negros possuem muitas massas solares.

Assim produzir mini buracos negros seria primordial para que se pudesse observar o tempo de evaporação, pela produção de radiação Hawking.

O incrível LHC – Grande Colisor de Hádrons, que opera em Genebra na Suíça nunca foi capaz de observar a radiação Hawking.

Assim a radiação Hawking é uma hipótese teórica que desafia os cientistas para que seja aceita ou refutada definitivamente.

Por ter ficado apenas no âmbito teórico sem comprovação experimental a radiação Hawking não pode conceder um prêmio Nobel ao seu criador.

Sobre o autor

Sérgio Sato

Sérgio Sato

Professor universitário há 35 anos de Física e Matemática. Avaliador no INEP/MEC. Motociclista. Entusiasta do conhecimento.

Adicione um comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: